Poesia

A Poesia alcança as fadas, encanta a chuva na madrugada, acompanha os ébrios nos dormentes e se mistura à solidão nas calçadas.

28 de março de 2017




Lourdinha Vilela

 Dizem de mim:
 A brisa,
 A calmaria,
 A lagoa
 Digo de mim:
 A ventania
 O burburinho,
  O mar revolto.
 Inquieto coração
 que ex- pulsa
 o que soluça,
 ao escrever
 o que amanhece
 sem medo
 do anoitecer



7 comentários:

  1. um poema introspectivo de muita sensibilidade...
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Gosto da tela de nuances suaves e o poema inquieta também meu coração.
    Lindo !

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo teu poema,Lourdinha! Bom te ver! bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. Linda forma de começar o dia, lendo esses belo poema!
    Bom dia Lourdinha!

    ResponderExcluir
  5. Boa Noite, Lourdinha.
    Gostei muito do seu poema. Muito bom. Parabéns.
    Abraços.
    Pedro

    ResponderExcluir
  6. Bonito poema. La fotografía es pintura?
    Feliz día.
    Saludos.

    ResponderExcluir
  7. Digo de ti, a poesia, as palavras que me tocam...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir