Poesia

A Poesia alcança as fadas, encanta a chuva na madrugada, acompanha os ébrios nos dormentes e se mistura à solidão nas calçadas.

28 de fevereiro de 2014

DESCOMPASSO

                                                                     Imagem da Internet.
Respiro um ar que sufoca
exprimo um ar de tonta
nessas horas tantas...
de que me entristeço,
de que males padeço,
que medo me espanca,
não terminou a dança,
cresci no descompasso,
e ainda me sinto criança.
Não sei  que vento balança
no meu cabelo a trança
Rapunzel
na torre do céu,
distante
me alcance.

Re editando

13 comentários:

  1. Bom dia querida Lourdinha, me lembrei de quando fiz a Rapunzel no Teatro, longas tranças, tinha um peso absurdo rsrs um ótimo carnaval para vc amiga! Bjosss

    ResponderExcluir
  2. Lindo descompasso tão bem expresso! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lourdinha...maravilhosa essência da alma feminina em qualquer idade e trajetória...amei!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Não podemos deixar morrer a criança dentro da gente.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Oi Lourdinha,adorei a parte de Rapunzel,e que essa criança
    possa jogar as tranças,atingindo o céu.
    Lindo.
    Obrigada pela visita e comentário.
    Bjs e ótimos feriados.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de partilhar contigo a postagem que publiquei hoje, dia 28/02/14, no meu blog A CASA DA MARIQUINHAS/
    Desde já o meu “Bem hajas!”
    PS – Desculpa o “copy & paste”

    ResponderExcluir
  7. Muita sensibilidade, gostei, Lourdinha.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Que a criança que um dia fomos, siga connosco o caminho, de mãos dadas.

    Beijo

    Sónia

    ResponderExcluir
  9. E no descompasso vamos crescendo.
    bjs
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Os descompassos são os hiatos, a parada para respirar, o suspiro durate o sono, a devida preparação para recomeçar a caminhada de cabeça erguida.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Olá Lourdinha,

    Lembro-me deste belo poema. Valeu reeditá-lo.
    Hoje eu o aprecio mais pela forma. Uma linda construção poética.
    Gostei também da imagem. Muito linda.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Poema e imagem se completam e
    "não terminou a dança"... e neste descompasso, a vida continua.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Feliz de quem tem um criança no coração e na mente.
    Beijinhos! :)

    ResponderExcluir